GRADE

Responsável pela curadoria e seleção dos filmes, Tino Monetti destaca alguns títulos importantes da programação deste ano. Entre eles, estão os novos filmes do celebrado Bruce LaBruce, que traz uma série de curtas gays xxx de estéticas distintas e com um elenco de peso formado por François Sagat, Colby Keller e Allen King -, e Emilie Jouvet, outra cultuada diretora dentro do universo PopPorn, que apresenta neste ano seu mais recente longa, “Meu Corpo, Minhas Regras”. O trabalho é uma celebração da sexualidade feminina, especialmente a lésbica, que passa longe do clichê e perto da arte e do coração selvagem.

Destaque para três outros filmes, dois espanhóis e um argentino/austríaco, falados em espanhol. “Viver e Outras Ficções” é um filme político, uma ficção atual que aborda e celebra a sexualidade de pessoas com deficiência e o uso de terapeutas sexuais, tema que o festival abordou há alguns anos com a exibição do documentário, também espanhol, “Yes, We Fuck”. Ainda da Espanha, chega “Pornodehesario”, uma fábula masturbatória dirigida por uma mulher. “Los Decentes”, filme de Lukas Valenta Renner com 6 prêmios em festivais internacionais , entre eles o de Turim e Vienna, faz uma reflexão alucinante (e quase alucinógena) sobre como a sociedade reprime a nudez e como o nudismo também é uma luta política por um futuro mais livre dentro de um mundo tão conservador.

Entre os filmes nacionais que abrilhantam essa edição, está o glorioso e monumental “A Rosa Azul de Novalis”, filme de nosso querido Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro que foca em uma personagem hiv+ que dentro de seu mundo ultra intelectual e rococó, analisa todos os aspectos de sua existência e da experiência humana. “Alfredo Não Gosta de Despedidas”, do parceiro do festival André Medeiros Martins, traça um paralelo entre duas áreas tidas opostas: o luto da morte e a celebração sexual da vida.
Já entre os curtas-metragens, destaque para o belo “Tea For Two”, de Julia Katharina estrelado por ela e Gilda Nomacce, que foi o 1o filme dirigido por uma pessoa trans a estrear em circuito comercial no Brasil. Os filmes hétero e femininos da australiana Anna Brownfiled são um colírio delicioso para os olhos. “Fisting Club”, uma paródia fisting lésbica de “Clube da Luta”, da gênio Shu Lea Cheang, é mais um dos imperdíveis, ao lado de "Lizzy & Seyyah”, de “Flower” e dos nacionais “O Bando Sagrado” e “Sr. Raposo”.

Completando as sessões, duas parcerias especiais que acontecerão nos dois dias do evento. A 1a com a VICE Brasil, media partner do PopPorn em outras edições, na qual serão exibidos episódios de sua série “Transe”. E finalizando, o bolo da cereja é a seleção de curtas do festival pai-mãe do PopPorn, o alemão Pornfilmfestival Berlin.